Últimas Notícias

UERGS pode perder R$ 13 milhões por negligência do governo estadual

Divulgação UERGS
Um grupo de professores e estudantes da Universidade Estadual do Rio Grande do SuL (UERGS), acompanhados de deputados, estiveram, hoje (12), na Casa Civil do governo do Estado para reivindicar urgência na definição da contrapartida do Estado para que a universidade não perca uma verba de R$ 13 milhões, destinada à Instituição por emenda do senador Paulo Paim (PT/RS) ao Orçamento da União. A comitiva foi recebida pelo secretário-adjunto da Casa Civil, João Carlos Mocellin.

A emenda de Paim, já disponível, é destinada à construção do Campus Central da Universidade. Os valores podem ser utilizados, também, para viabilizar a realização de concurso com vistas a ajustar o quadro de funcionários às necessidades da Instituição. Para acessar ao valor liberado pela União, entretanto, o Estado precisa garantir uma contrapartida de R$ 800 mil, o que não está garantido.

Segundo a reitora da UERGS, Arisa Araújo, presente no encontro, para que a universidade não perca os R$ 13 milhões, é necessário que o governo do estado solicite uma prorrogação de prazo junto ao MEC. “Hoje estamos em um prédio cujo aluguel beira os R$ 45 mil por mês, além de ser totalmente insalubre. Com a emenda, podemos respirar”, disse.

O deputado Luiz Fernando Mainardi (PT), que sugeriu e coordenou a visita da comitiva ao secretário adjunto da Casa Civil, diz que é difícil acreditar que o governo aja como se esse valor não fizesse qualquer diferença. “Sabemos que o Estado tem dificuldades financeiras, mas perder esses R$ 13 milhões é irracional. Pelos nossos cálculos, a aplicação dos R$ 800 mil da contrapartida poderá gerar três vezes mais em arrecadação de ICMS”, defendeu.

Na reunião, os estudantes denunciaram, também, a precariedade das estruturas físicas da universidade, que não estão recebendo manutenção, e a falta de professores. A UERGS tem um déficit de mais de 50% no quadro dos professores. O deputado Altemir Tortelli (PT) ressaltou a importância que a universidade tem para gaúchos e gaúchas, mas afirmou que a mesma precisa ser bem tratada. “Sempre tivemos o entendimento que a UERGS deveria ser tratada de forma especial. Os investimentos, especialmente em recursos humanos, é uma das grandes reinvindicações que trazemos aqui. Os alunos querem ter o direito de terminar a sua graduação” lamentou o deputado.

Por sugestão do deputado Tarcísio Zimmermann (PT), o governo do Estado reunirá com a comitiva presente na reunião, na semana do dia 23 de abril. “O secretário Mocelin vai avaliar a pauta que entregamos, juntamente com seu histórico de reuniões e reinvindicações, e nos reunimos daqui uma semana para saber qual a proposta desta gestão para entrarmos num acordo” finalizou. O secretário Mocelin concordou com a proposta afirmando que se reunirá com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (Sdect), ao qual a UERGS está vinculada, na busca de uma solução às demandas. Estiveram presentes na reunião estudantes, professores, pró-reitores regionais, entidades sindicais de educação, além de representantes dos deputados Jeferson Fernandes (PT) e Juliana Brizola (PDT).