Últimas Notícias

Usuários da UBS Passo das Pedras I pedem mais médicos

A comunidade também denuncia venda irregular de fichas para atendimento e a longa espera de idosos em filas


(Foto: Leonardo Contursi/CMPA
Moradores do Bairro Passo das Pedras, localizado na Zona Norte, participaram, nesta terça-feira (24/4) pela manhã, da reunião da Comissão de Saúde e Meio Ambiente (Cosmam) da Câmara Municipal de Porto Alegre. Eles reclamam da falta de profissionais e de uma política de acolhimento na Unidade Básica de Saúde (UBS) Passo das Pedras I. Também apontam que o fechamento do posto de saúde do Jardim Planalto gerou aumento da demanda por atendimento no Passo das Pedras. Ao final da reunião, o presidente da Cosmam, vereador Cassio Trogildo (PTB), disse que deverá ser feita uma visita à comunidade no dia 25 de maio, pela manhã, com a presença de vereadores e de integrantes da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Trogildo também garantiu que as demandas trazidas à Cosmam pelos usuários da UBS Passo das Pedras I serão encaminhadas formalmente à SMS.
O coordenador do conselho local da UBS, Adory Oscar Bonetto, alertou que, atualmente, aquela unidade de saúde atende cerca de 40 mil moradores da região e conta apenas com uma médica em atividade. Segundo ele, desde 2009 a UBS vem sofrendo problemas devido ao número insuficiente de profissionais de saúde. “Uma das médicas, que faz regime de trabalho de 40 horas, está em licença-saúde. E a outra médica, ligada ao Imesf, foi contratada temporariamente até junho e tem regime de trabalho de apenas 20 horas. Se não houver o retorno da profissional que está licenciada, a comunidade poderá ficar sem atendimento devido à falta de médicos na Unidade. Tivemos uma redução no número de médicas e também de carga horária de trabalho. É um assunto grave e ninguém está tomando providências”, afirmou.
Bonetto também observou que a reforma e ampliação da UBS, prevista desde 2007, nunca foi executada. De acordo com ele, há também falta de medicamentos e atraso na entrega, bem como a UBS carece de contratação de profissionais de enfermagem, odontologia e de farmácia.
Acolhimento
Morador do Jardim Itu, o administrador de empresas Joaquim João Ramos é usuário da UBS Passo das Pedras I e reclamou da falta de acolhimento naquela unidade de saúde, obrigando inclusive idosos a permanecerem mais de 12 horas na fila para recebimento de fichas de consulta. “As pessoas ficam na rua esperando para talvez conseguir atendimento no dia seguinte.” Ele também sugeriu que o georreferenciamento utilizado pela SMS seja repensado, de forma que os usuários não precisem buscar postos de saúde distantes do seu local de residência.
Ramos ainda denunciou que há comércio irregular de fichas de atendimento na UBS, que podem custar até mais de R$ 60. “Essa denúncia foi levada ao secretário municipal de Saúde, mas nada foi feito.” Também lembrou que o Jardim Planalto possui área prevista para a construção de um novo posto de saúde, já que o posto antigo foi fechado em função dos problemas com o tráfico de drogas na Vila Planaltina.
Saúde da Família
Coordenador da Atenção Primária em Saúde da SMS, Thiago Frank, destacou as vantagens do atendimento baseado na Estratégia Saúde da Família, que tem resultados muito melhores do que aqueles obtidos pelas políticas centradas apenas nos atendimentos em UBS. Ele considerou ser possível que, a pedido da comunidade, a médica do Imesf que atualmente faz atendimento na UBS Passo das Pedras I permaneça atuando naquela unidade, já que ela é funcionária estatutária em outra UBS. Frank disse acreditar que, com o retorno da médica titular e com a efetivação da profissional que atualmente atende pelo Imesf, deverá haver um incremento no atendimento à comunidade e a consequente diminuição da fila de espera.
Frank, no entanto, alertou que a falta de recursos humanos não é um problema exclusivo da UBS Passo das Pedras I e que a SMS tem a responsabilidade de tratar o sistema de atendimento “como um todo, não apenas para uma região da cidade”. Ele também ressaltou que o atendimento é projetado segundo dados do Censo do IBGE. “Não sei como surgiu o número de 40 mil usuários, citado aqui, para o Passo das Pedras. Pelo IBGE, a população local seria de 21,7 mil pessoas. Esse número pode ser checado se houver um cadastramento dos moradores, feito por agentes comunitários do Imesf”, sugeriu.
Também participaram da reunião os vereadores Mauro Pinheiro (Rede), Aldacir Oliboni (PT), José Freitas (PRB), André Carús (PMDB) e Paulo Brum (PTB).
Texto: Carlos Scomazzon (reg. prof. 7400)